Quarta

4 11 2009

Com toda a decoração de Natal já sendo preparada pelas ruas de São Paulo (o “tronco” da árvore do Ibirapuera está lá esperando as folhas), me senti inspirada pra um pequeno balanço deste ano.
Acho que 2009 foi o ano de reaprender a amar a minha casa. Começo a acreditar que estar aqui pode ser tão bom quanto aproveitar a estrada. Escolher um abajur bonito pra sala, organizar os livros, trocar a roupa de cama, selecionar os temperos pra um almoço simples de alguma coisa que tinha vontade…
###
Ontem, estava com mais vontade de ouvir do que de falar. Escolhi poucos assuntos entre os intervalos pra serem meus no diálogo. Quis falar sobre a subjetividade porque enquanto as pessoas falam, presto atenção e penso em um milhão de coisas diferentes ao mesmo tempo. Um dos meus exemplos foi o arco-íris de seis cores na capa daquele disco do Pink Floyd.
O pensamento é um negócio fascinante.

Anúncios




Ucrânia

1 11 2009




Se alguém perguntar por mim…

29 10 2009

Engraçado. Daqui a pouco faz um ano que coloquei o pé na estrada. E é bem provável que em breve eu vá dar mais uma volta por aí. Desta vez, porém, quero aproveitar o verão. Dois invernos foram mais do que suficientes pra este quarto de século.

Esse ano estive em Berlim, Amsterdam, Londres, Dublin, Madri, Málaga, Granada, Santander, Lisboa, Paris, São Paulo (né?) e Rio. Pra onde agora, será?





Memento mori

5 08 2009

Eu não canso de achar essa vida engraçada, por mais sem graça ou triste que ela pareça. Sempre tem uns LOOPINGS do destino que fazem algumas coisas voltarem, outras aparecerem. E tudo meio que CONECTADO de uma forma bizarra.
Comigo e o idioma italiano, por exemplo, é assim.
*
Nunca me imaginei gostando do Itaim (o Bibi). Me parecia fresco demais, chato demais. Mas como sempre tem um “mas”, posso dizer. Itaim? Pas mal. Mesmo. Serião. Nem sabia que era assim tão perto de casa. E o caminho até lá é bonitinho. Cheio de árvores. Não é nem tão limpo (ou blindado), nem tão sujo. Bem agradável. Tem alguns lugares até charmosinhos, apesar de tudo me parecer com um verniz, assim, clássico. Desço a Brigadeiro, vejo o Ibirapuera do lado esquerdo, mais um pouquinho e já estamos na Joaquim Floriano. Et voilà! Super, mec!





Ela

4 08 2009

Chega no fim de um dia lindo e põe TUDO a perder. Que coisa mais sem controle. Que puxa. Vai entender.





Confissões de Henry Fool

21 07 2009

Recomendo pra todos os amigos.





Sorte de hoje

1 07 2009

Um recado pra me lembrar que de vez em quando é bom ficar parada esperando a maré baixar pra entrar no mar. Às vezes, esperar a onda certa pra que ela me leve na mesma direção pra onde quero nadar. E ainda que a melhor opção pode ser fluir como água, pelos espaços disponíveis no momento.